Portal Destaque Ir para conteúdo principal
Ir para conteúdo principal Logotipo Guaporé
conteúdo do menu
Conteúdo Principal conteúdo principal
13/01/2021 Sec. da Agricultura
COMPARTILHAR NOTÍCIA

Abastecimento de água em propriedades rurais é prioridade da Secretaria de Agricultura em Guaporé

Escassez nas chuvas tem causado desabastecimento. “Caminhão Pipa” e trator com espalhador são utilizados para minimizar os problemas

“Estamos novamente enfrentando um momento delicado. Falta água para beber e até para os animais”. O registro é de um produtor rural da Linha Monte Bérico, zona rural de Guaporé, que, ao visualizar o “caminhão pipa” da Administração Municipal, através da Secretaria da Agricultura, sentiu-se momentaneamente aliviado. São diversos os pedidos para o transporte de água potável e para os animais que chegam diariamente à mesa do novo secretário, Edelvan Balbinotti. A reorganização da pasta, com atividades de melhorias das estradas vicinais, bem como, atendimento de outras demandas estão em segundo plano.

“Não deixamos de executar os serviços, porém, nesse momento a prioridade da Secretaria de Agricultura é atender os produtores que estão com escassez de água em suas propriedades. Muitos, infelizmente, não têm água nem para o consumo humano e relatam dificuldades para dar água aos animais. Estamos, juntamente com a Coordenadoria de Defesa Civil (COMPDEC), fazendo o máximo para atendê-los”, disse Balbinotti.

Adquirido em 2020, o tanque cilíndrico, que está montado sob um caminhão, transformando-o no chamado “caminhão pipa”, tem capacidade para oito mil litros de água. Este atendeu, somente nos primeiros dias do ano, agricultores das Linhas Monte Bérico, Três de Maio e 21 de Abril. Estas, conforme o secretário, são as mais afetadas pela falta de água. Outras propriedades nas Linhas Oitava (São Paulo e Santo Antônio), São Miguel, Distrito de Colombo e Monte Cuco também receberam a visita salvadora da equipe da Secretaria de Agricultura.

O “caminhão pipa”, conforme Balbinotti, leva água potável, ou seja, para o consumo humano. Um trator com espalhador auxilia e transporta água (não potável) que pode ser utilizada em outras demandas das propriedades.

“Todos os dias recebemos pedidos para o transporte de água, porém, há também o trabalho de abertura e limpeza das fontes e de estradas para que as caixas d’água, necessárias para o armazenamento, possam chegar. O Poder Público, dentro de sua capacidade, está auxiliando os produtores que estão com escassez deste bem tão precioso e necessário para a vida”, disse o secretário da Agricultura.

No Rio Grande do Sul, 114 prefeituras decretaram situação de emergência por causa da estiagem. Por enquanto, o Poder Público e as entidades rurais, segundo Balbinotti, estão monitorando e atuando para minimizar a situação em Guaporé. Não há, pelo menos num curto espaço de tempo, perdas significativas nas lavouras e escassez geral de água, em especial para o consumo humano, que possam levar à decretação no município.

Outras Notícias