Portal Destaque Ir para conteúdo principal
Ir para conteúdo principal Logotipo Guaporé
conteúdo do menu
Conteúdo Principal conteúdo principal
21/07/2020 Gabinete do Prefeito
COMPARTILHAR NOTÍCIA

Guaporé continua em área de alto risco de contágio à Covid-19

Dos 49 municípios pertencentes à Serra Gaúcha, 27 podem seguir os protocolos da bandeira laranja. Guaporé, pelas internações e mortes, segue com maiores restrições

O Governo do Estado do Rio Grande do Sul, através do Gabinete de Crise, analisou 59 pedidos de reconsideração encaminhados pelos municípios e associações regionais, divulgando o mapa definitivo da 11ª rodada do modelo de Distanciamento Controlado. Das 18 regiões preliminarmente incluídas como áreas de alto risco epidemiológico à Covid-19 (bandeira vermelha), 10 tiveram o pedido aceito e retornam para a bandeira laranja. Não é o caso da Serra Gaúcha, composta por 49 municípios, com população total de 1,1 milhão de habitantes. O novo mapa foi apresentado pelo governador Eduardo Leite em transmissão ao vivo pelas redes sociais (Facebook e Youtube) na tarde da segunda-feira, dia 20 de julho.

A Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), através do Observatório Regional de Saúde (OBSaúde), apresentou recurso no sábado, dia 18, contestando a forma de análise dos dados no Distanciamento Controlado e afirmando que os gestores municipais não estão medindo esforços para combater a disseminação do vírus, inclusive com a abertura de novos leitos de UTI. Mesmo com as ponderações e números condizentes com a capacidade de atendimento dos hospitais da região, o Governo Estadual não foi sensível.

O presidente da Amesne, prefeito de Cotiporã José Carlos Breda, afirma que o recurso demonstrava inconsistência nos dados, sugeria aperfeiçoamentos no modelo.

“O Distanciamento Controlado não possui mais sua eficácia e não reflete a realidade de cada região”.

A Região de Caxias do Sul, conforme o Gabinete de Crise, apresentou piora no indicador de “Propagação da Covid-19” e de “Capacidade do Atendimento”. Apesar de apresentar melhora em outro indicador de “Propagação”, a média final ainda se elevou. Breda salienta que um dos dados que impactou na classificação e permanência da serra em bandeira vermelha foi o número de pacientes internados em leitos clínicos e UTI’s da região. Porém, estes são de outras regiões.

“Após a análise do Observatório Regional de Saúde, pôde-se perceber que pacientes internados em Hospitais da região não residem em municípios pertencentes à MacroSerra, o que não deveria ser contabilizado nos dados regionais”, disse.

O prefeito de Guaporé, Valdir Fabris, que é 2º vice-presidente da Amesne, afirma que os municípios, apesar de contestarem os dados, seguirão as normas e regras impostas da bandeira vermelha.

“Não concordamos com diversos pontos do modelo de Distanciamento Controlado. Acreditamos que haverá mudanças nas próximas semanas e os prefeitos, que estão levando a culpa em suas comunidades pelas determinações do Governo Estadual, terão maior liberdade para decidir o que é melhor ao seu povo. Construir medidas junto com a população fará com que possamos enfrentar a pandemia da melhor forma. Saúde e economia devem andar lado a lado. Isso nos propormos a buscar se tivermos autonomia para decidir”.

Fabris pede a colaboração da comunidade para o enfrentamento à disseminação da Covid-19.

“Até não termos a liberdade de decisão sem enfrentar sansões, peço que não relaxem nos cuidados de enfrentamento à Covid. Sigam os protocolos sanitários. Usem máscaras e mantenham o menor contato possível com as pessoas. Façamos a nossa parte para vencer a batalha contra o inimigo invisível, mas que tem nome e sobrenome: coronavírus (Covid-19)”

Dos 49 municípios, 27, que totalizam 11% da população regional, poderão seguir as determinações de bandeira laranja, pois não registraram nos últimos 14 dias, óbitos ou hospitalizações decorrentes da Covid-19. As restrições, que serão seguidas pelos gestores da Serra Gaúcha, prosseguem até o dia 27 de julho.

Outras Notícias