Guapore - Inicial  
Tempo
Pesquisar:   Acessibilidade A1 A2 A3
Serviços:               Portal da Transparência:
Declaração
Eletrônica ISS
 
Nota Fiscal Eletrônica
de Serviços
 
Portal
Municipal
 
Edital de Concurso Público
 
Prefeitura Transparente
 
Serviço de Informações
ao Cidadão
 
Portal da
Transparência
Home
NOTÍCIAS
14/05/2018
Mais Saúde: A importância da nutrição no controle da tireoide
Postado por: Secretaria da Saúde
Mais Saúde: A importância da nutrição no controle da tireoide

O que é tireóide? A tireóide é uma glândula localizada no pescoço com formato de borboleta. Reguladora da função de importantes órgãos como o coração, o cérebro, o fígado e os rins. Ela produz os hormônios T3 e o T4. Quando a tireoide não funciona de maneira correta, pode liberar hormônios em quantidade insuficiente, causando o hipotireoidismo. A pessoa com hipotireoidismo geralmente apresenta ganho de peso, alterações de humor, pele seca, unhas e cabelos quebradiços, problemas de memória, constipação e outros. Quando os hormônios da tireóide são produzidos em excesso, ocasiona o hipertireoidismo, geralmente a pessoa apresenta perda de peso, unhas e cabelos quebradiços e entre outros sintomas.
Quais os alimentos que podem prejudicar o funcionamento da tireóide? Existem alguns alimentos que consumidos diariamente e por longos períodos podem prejudicar a função da tireoide. São eles: A soja possui toxinas que desaceleram o funcionamento da tireoide. O cloro e o flúor que estão presentes na água clorada, em algumas pastas de dentes. Dica: Tome água filtrada e use pasta de dente sem flúor. As toxinas deixam a tireóide também mais lenta, como o mercúrio, chumbo e cadmio. Evite comida enlatada, evite o uso continuo de micro-ondas, armazene os alimentos no pote de vidro e não de plástico, evite panelas de alumínio, prefira de vidro ou cerâmicas. Cuidado com o excesso de produtos industrializados. As alergias escondidas podem trazer uma série de danos à saúde e, em muitos casos, elas têm sido ligadas fortemente a sintomas da inflamação da tiroide. O estresse intenso eleva o hormônio do cortisol, que pode atrapalhar o funcionamento da tireóide. Pesquisas têm demostrado que o excesso de açúcar e alimentos refinados como pães, farinhas brancas e doces em geral aumentam muito a insulina, que tem alta relação com a disfunção da tireóide. Cuidado com o suco verde: o suco verde é maravilhoso, no entanto, para quem tem problemas na tireoide, o suco verde pode atrapalhar. Não se deve tomá-lo todos os dias, pois vegetais crucíferos (couve, couve-de-bruxelas, brócolis, repolho) na sua forma crua contém glicosinolato, que atrapalha o bom funcionamento da tireóide. Não precisa cortar da alimentação, o que não pode acontecer é o consumo diário e excessivo. Um fator também capaz de desregular a glândula da tireoide é o uso excessivo de medicamentos como antidepressivos, ansiolíticos e medicamentos para perder peso.

Quais os alimentos que podem melhorar o funcionamento da tireóide? Para que a conversão dos nutrientes ocorra de forma eficiente não podem faltar elementos como o selênio, zinco e ferro. São minerais essenciais para que os hormônios da tireóide entrem na célula e façam sua função no organismo. Estão presentes nos alimentos como as oleaginosas (castanhas e nozes), a abóbora, o gergelim, as leguminosas, como feijões e lentilha. Também tem outro mineral muito importante que é o Iodo, fundamental para produção dos hormônios tireoidianos. É importante o paciente fazer exames bioquímicos para identificar se está com excesso ou falta de iodo no organismo. Encontramos o iodo nas cápsulas de algas marinhas. Algumas vitaminas também são importantes, como as vitaminas A, C e E, que são excelentes antioxidantes que podem ser encontradas na cenoura, abobora, goiaba e outros. O ômega 03 protege o cérebro e o coração, está presente nos óleos de peixe, linhaça e azeite de oliva. Tirosina: este aminoácido junto ao iodo ajuda a formar tiroxina melhorando o funcionamento da tireoide, estando presente nos peixes, na banana e outros. “Todos estes alimentos devem estar em equilíbrio dentro de uma alimentação e hábitos de vida saudáveis, pois um único alimento consumido em excesso e isoladamente não terá os efeitos desejados”.

Nosso intestino tem relação com a tireóide? Nosso intestino é responsável por uma série de reações que controlam o nosso equilíbrio orgânico. Assim, o quadro de disbiose intestinal tem sido associado a algumas alterações metabólicas, como os problemas tireoidianos, especialmente por predispor ao aumento da inflamação e desequilíbrios imunológicos. Desta forma, as condutas voltadas para a saúde tireoidiana devem envolver estratégias nutricionais que busquem a recuperação e manutenção da saúde intestinal, com adequado aporte de fibras especialmente de frutas, verduras, legumes e cereais, além de alimentos prebióticos e boa ingestão de líquidos.

Para melhorar o funcionamento da tireóide, é necessário realizar uma reeducação alimentar individualizada, eliminar os metais tóxicos do organismo, se necessário realizar uma suplementação adequada, e se for o caso, ingerir o medicamento adequado.

Sob responsabilidade das nutricionistas da secretaria da Saúde- Michele Dagnese, Ana Paula Trentin.