Guapore - Inicial  
Tempo
Pesquisar:   Acessibilidade A1 A2 A3
Serviços:               Portal da Transparência:
Declaração
Eletrônica ISS
 
Nota Fiscal Eletrônica
de Serviços
 
Portal
Municipal
 
Edital de Concurso Público
 
Prefeitura Transparente
 
Serviço de Informações
ao Cidadão
 
Portal da
Transparência
Home
NOTÍCIAS
08/02/2018
Programa Mais Saúde: Como a alimentação influencia na gestação
Postado por: Secretaria da Saúde
Programa Mais Saúde: Como a alimentação influencia na gestação

Na gestação, uma nutrição adequada da mãe previne doenças do bebê para o resto da vida. O processo nutricional é fundamental e importante.
Quais os alimentos que podem ajudar no desenvolvimento neural da criança durante a gestação? A partir dos 06 meses de gestação existe um pico de desenvolvimento cerebral no bebê. Alguns minerais são muito importantes nesta fase. São eles o ferro e ácido fólico que estão presentes nos alimentos como feijão, folhas verdes escuras e outros. Outro mineral importante é o magnésio, ele é importante para mais de 300 reações bioquímicas e necessário para que todas as outras vitaminas sejam absorvidas, encontrado nas castanhas, folhas verdes escuras, feijão e outros. Da mesma forma, também são importantes as gorduras consideradas saudáveis, como o ômega 3 que contém na sua composição DHA e EPA que está presente na sardinha, azeite de oliva e abacate. Sempre recomendo a ingestão de ovo caipira diariamente, pois ele contém colina que é importante para a construção de tecidos e músculos do bebê.
O iodo também ajuda no desenvolvimento neural da criança? Sim. A deficiência de iodo na gestação está diretamente relacionada com o baixo QI das crianças em nível escolar. Ele é encontrado na sardinha e nas cápsulas de algas marinhas.
As mulheres antes de engravidar tomam ácido fólico. O que você acha? Eu acho essencial. Mas antes de iniciar uma suplementação devemos fazer exames bioquímicos de acido fólico e analisar se ela precisa realmente daquela dose de suplementação. Cada pessoa precisa de uma dose adequada do mineral. O excesso de ácido fólico diminui a absorção de mineral como o zinco e a vitamina B12 no organismo. E o ácido fólico, para fazer um efeito benéfico no organismo como prevenir defeitos do tubo neural deve estar em sinergia com as vitaminas do complexo B e outros. Os micronutrientes precisam estar em sinergia e nenhum mineral sozinho consegue fazer sua função no organismo.
É verdade que a escolha da mãe influencia o gosto e preferências alimentares do bebê? Sim. Descobriu-se que não é só a genética que a mãe passa para o filho, ela passa também hábitos alimentares. Mães que se alimentam melhor desde o início da gestação transmitem este hábito para o filho, e da mesma maneira que mães que ingerem muito açúcar, muita gordura e muita comida processada, passam esse hábito alimentar para o filho. Logo, na primeira infância, o bebê vai desenvolver um receptor favorável às vitaminas ou às gorduras. Por isso, futuras mamães, escolham bem os alimentos para garantir um futuro saudável dos seus pequenos. Uma nutrição adequada da gestante previne doenças do bebê para o resto da vida. Lembre-se: O feto se nutre através da placenta, portanto, tudo o que a gestante ingere irá afetar diretamente o desenvolvimento do bebê. Você sabia que o desenvolvimento do paladar e olfato também é transmitido pela placenta?
Muitas mulheres sofrem de enjoos, náuseas durante a gestação. Quais os alimentos que poderiam minimizar esses sintomas? Comer a cada três horas, não beber líquidos durante as refeições, mastigar devagar os alimentos, não deitar logo após as refeições, não comer muitos carboidratos refinados e doces na mesma refeição. Ingerir bastante frutas, verduras no almoço e jantar e ingerir 2 litros de água por dia no intervalo das refeições. Normalmente a temperatura mais fria ajuda a evitar os enjoos, por isso é comum diminuir os enjoos ao se chupar gelo picado. Outra substância é o gengibre que ao ser mastigado pode ajudar. A carência de alguns minerais também pode aumentar as náuseas e enjoos. Consuma alimentos que contém vitamina B6 e zinco como abacate, banana, ameixas secas e semente girassol.
Muitas gestantes sofrem de câimbras durante a gestação quais os alimentos que podem ajudar? As câimbras quase sempre são consequências de um desequilíbrio entre cálcio e magnésio. A carência de magnésio é a maior causa de câimbras, inchaços durante a gestação, então inclua alimentos como as folhas verdes escuras, semente de abobora, arroz integral e outros.
O uso de probióticos na gestação traz benefícios? Sim. Devemos receitar os probióticos desde o início da gestação. Probióticos são bactérias benéficas que fornecem diversos benefícios para a saúde da mãe e do bebê, e tem a capacidade de corrigir a flora intestinal e a produção de ácidos, estimulando o funcionamento do intestino.
O ditado “comer por dois” é verdadeiro na gestação? A ideia de que é necessário comer por dois durante a gestação não é verdadeira. No entanto, muito além das escolhas saudáveis, o cardápio da gestante deve conter nutrientes específicos para cada período da gravidez, por isso, a importância do acompanhamento nutricional antes e durante a gravidez onde visa orientar, instruir e acompanhar a saúde da gestante durante todas as fases, enfatizando os alimentos e condutas importantes para cada período. O resultado é uma gestação tranquila, sem ganho excessivo de peso e um bebê nutrido e saudável. Durante a gestação é fundamental ter uma alimentação equilibrada consumindo alimentos fontes da natureza. Sempre recomendo a ingestão de dois ovos caipiras por dia porque contém colina. Também recomendo muitos legumes e verduras orgânicas, 4 frutas diariamente, batidas de suco verde, água de coco e entre outros alimentos. Também é importante consumir alimentos fontes de ômega 3, iodo, ferro, magnésio, ácido fólico, probióticos e entre outros. Cada trimestre da gestação tem sua particularidade, e deve ser acompanhada de forma individualizada.
Uma alimentação equilibrada é base para uma VIDA SAUDÁVEL. Se você, mãe, não quer ter seu filho quando adulto com doenças crônicas comece se nutrindo desde a gestação. A carência nutricional de vitaminas, minerais e óleos essenciais pode atrapalhar o desenvolvimento do feto, interferir na função orgânica da criança, podendo resultar, quando adulta, em doenças como diabetes tipo II, depressão, distúrbios alimentares, resistência à insulina, aumento de gordura abdominal e obesidade.