Guapore - Inicial  
Tempo
Pesquisar:   Acessibilidade A1 A2 A3
Serviços:               Portal da Transparência:
Declaração
Eletrônica ISS
 
Nota Fiscal Eletrônica
de Serviços
 
Portal
Municipal
 
Edital de Concurso Público
 
Prefeitura Transparente
 
Serviço de Informações
ao Cidadão
 
Portal da
Transparência
Home
NOTÍCIAS
12/12/2017
Vitaminas e Minerais - Principais riscos de deficiências e excessos.
Postado por: Secretaria da Saúde
Vitaminas e Minerais - Principais riscos de deficiências e excessos.

Quando começamos a falar sobre micronutrientes a primeira coisa que devemos dar importância é o nosso intestino, ele tem funções importantíssimas no nosso organismo, é nele que ocorre a absorção de vitaminas e minerais. Nada adianta uma alimentação impecável, uma suplementação maravilhosa se o intestino não está em condições de absorver os alimentos adequadamente, por isso, é importante não tomar líquidos durante as refeições, porque prejudica a digestão. Mastigar bem os alimentos para que o mesmo possa ser quebrado e digerido corretamente, dormir no mínimo 08 horas por dia para conseguir produzir os hormônios da serotonina, dopamina, noradrenalina, cortisol e entre outros é muito importante. Tudo isso precisa ser analisado no paciente. Devemos analisar também os rótulos dos produtos industrializados e nos questionarmos se o que estamos ingerindo é comida de verdade ou são aditivos químicos cheios de conservantes e corantes. Será que estamos nos nutrindo adequadamente? Hoje cada vez mais as pessoas estão intoxicadas, com o organismo desequilibrado e inflamado. Nosso organismo precisa de nutrientes para se equilibrar. Esses nutrientes estão na natureza e não nos produtos industrializados. Suplementar o paciente somente com cálcio pode ajudar na saúde óssea? Não. Nenhum mineral sozinho consegue fazer sua função no organismo. Devemos pensar no metabolismo como um todo. O osso precisa no mínimo de 24 nutrientes para fazer sua função no organismo. Alguns profissionais receitam somente cálcio + vitamina D, o que não resolve o problema. Vários estudos apontam que para resolvê-lo, você precisa ter vários micronutrientes associados. Vemos muitos profissionais suplementando iodo para tratar o paciente com tireoide. É correto? O iodo é importantíssimo para a tireoide, mas antes de suplementar iodo devem ser feitos exames bioquímicos adequados para ver realmente se esse paciente está precisando de reposição. O excesso de iodo pode causar uma tireoidite de Hashimoto. Devemos pensar no sinergismo dos micronutrientes e não focar somente em um nutriente. A tireoide é uma glândula endócrina que precisa não somente do iodo, mas de vários micronutrientes como o ferro, selênio, vitamina A, zinco, vitamina D e entre outras. Quando a pessoa está com anemia muitos profissionais receitam ferro. O que você acha? Como foi comentado anteriormente, nenhum mineral sozinho consegue fazer sua função no organismo. Todo profissional da saúde deveria estudar um pouquinho da bioquímica do organismo para entender que nos minerais existe uma sinergia. O sulfato ferroso é um dos minerais importantes, mas ele sozinho não tem um bom resultado. O ferro precisa de vários elementos químicos para fazer sua função no organismo até chegar na hemácia e fazer sua função metabólica. Aqueles suplementos prontos de A a Z funcionam? Não. Cada pessoa tem uma individualidade bioquímica, precisamos fazer exames bioquímicos para saber se existe uma carência nutricional para depois montar uma suplementação específica para aquele paciente, na medida certa. Por exemplo: para uma pessoa talvez precise de 10 mg de zinco, para outra 07 mg. Cada organismo é único e a dose é diferente. As pessoas pegam pouco sol e existe uma carência muito grande de vitamina D. A suplementação de vitamina D ajuda? O sol é uma das melhores maneiras de se adquirir vitamina D. Não precisa ter medo do sol, 10 minutos todos os dias é o suficiente. A suplementação de vitamina D às vezes também é importante, por isso a importância de fazer exames bioquímicos e conforme a individualidade bioquímica saber a dose correta de suplementar esse paciente. É preciso analisar se esse paciente tem uma alimentação rica em produtos industrializados e aditivos químicos, porque essa alimentação pobre de micronutrientes pode atrapalhar a absorção de vitamina D. Você sabia que o magnésio e o cálcio também são minerais importantes para a absorção de vitamina D? Comer folhas verde escuras ajuda absorver melhor essa vitamina. As mulheres antes de engravidar tomam ácido fólico. O que você acha? Antes de iniciar uma suplementação devemos analisar como é a alimentação desse paciente, como é seu trato digestivo, fazer exames bioquímicos de ácido fólico e analisar se ela precisa realmente daquela dose de suplementação que o ginecologista recomenda. Cada pessoa precisa de uma dose adequada do mineral. O excesso de ácido fólico diminui a absorção de zinco e vitamina B12 no organismo e causa intoxicação. E o ácido fólico, para fazer um efeito benéfico como prevenir defeitos do tubo neural, deve estar em sinergia com as vitaminas do complexo B, zinco e outros. As pessoas conseguem correlacionar um sintoma com apenas um nutriente. Eu preciso saber que os micronutrientes precisam estar em sinergia e nenhum mineral sozinho consegue fazer sua função no organismo. Vamos incentivar mais a agricultura familiar e comer mais comida de verdade que vem da natureza e nos nutrir corretamente. VOCÊ QUER COMER MELHOR? COMECE DESCASCANDO MAIS E "DESEMBALANDO" MENOS. Nutricionistas Michele Dagnese e Ana Paula Trentin- Secretaria da Saúde de Guaporé